Com hospitais superlotados, Amazonas enviará pacientes com COVID-19 para o RN

O Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL-UFRN), em Natal, receberá pacientes do Amazonas, onde ocorre um colapso no sistema de saúde e os hospitais estão sem oxigênio para os pacientes, segundo informou o governador amazonense Wilson Lima, nesta quinta-feira (14). De acordo com o jornal Agora RN, a transferência foi confirmada pela Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap).

Manaus, capital do Amazonas, está passando por um grave aumento no número de casos, internações e mortes por covid-19: a média móvel de mortes subiu 183% nos últimos 7 dias.

Esta semana, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, visitou o Amazonas disse que Manaus é “prioridade nacional neste momento”.

Segundo o governador Wilson Lima, além do Rio Grande do Norte, Goiás, Piauí, Maranhão, Paraíba e Distrito Federal também devem atender pacientes amazonenses. 

Representante do Ministério da Saúde, o Coronel Franco Duarte, declarou que serão transportados pacientes com estado de saúde considerado em fase moderada da covid-19.

“Todos estamos voltados para o foco no paciente, para que a gente tenha sucesso e que chegue no destino com toda a segurança e o acolhimento que o nosso doente tem que ter, que é o acolhimento de excelência”, afirmou.

Um dos primeiros estados a receber pacientes do Amazonas foi o Piauí. Na manhã de hoje (14), 30 pacientes de Manaus foram encaminhados para a capital, Teresina.

Falta de oxigênio

A empresa responsável por fornecer oxigênio aos hospitais públicos do Amazonas afirma que não conseguiu suprir a demanda devido à dificuldade na logística e no aumento da quantidade de pacientes internados.

Hoje (14), o governo estadual disse que entrará na Justiça contra a empresa para obrigá-la a fornecer oxigênio ao estado.

O Ministério da Saúde firmou parceria com o Sírio Libanês, que realizou um mapeamento para o governo poder medir as ações e otimizar as demandas de oxigênio no Amazonas.

Novas restrições

Aalta nos casos do novo coronavírus levou o governador a endurecer as restrições no estado. Entre as medidas, estão a suspensão do transporte coletivo entre rodovias e rios (exceto cargas) e a proibição de circulação de pessoas das 19h às 6h (exceto para atividades e transporte de produtos essenciais).

Fontes: Agora RN, CNN e portal Grande ponto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao Topo